quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Estudo analisa causas de aborto espontâneo entre diabéticas de tipo 1 e tipo 2


«As taxas de aborto espontâneo e óbito de recém-nascidos são semelhantes entre as mulheres com Diabetes tipos 1 e 2, afirmam investigadores neozelandeses, mas as causas desses problemas são diferentes nos dois grupos.

A equipa liderada por Tim Cundy, da University of Auckland, Nova Zelândia, recolheu dados de mulheres com Diabetes tratadas no Serviço Pré-Natal para Diabéticas do Auckland City Hospital entre 1986 e 2005. No total, a pesquisa abrangeu 349 mulheres com Diabetes tipo 1 e 862 com Diabetes tipo 2.

O relatório indica que as taxas de perda de gravidez foram de 2,6% entre as diabéticas tipo 1 e 3,7% entre as diabéticas tipo 2, uma diferença não significativa. Os níveis de controlo da glicose não se mostraram significativamente diferentes nos dois grupos, nem no início, nem no final da gravidez.

Para as portadoras de Diabetes tipo 1, as principais causas de perda da gestação foram defeitos congénitos graves no nascimento e complicações em bebés prematuros, afirma a equipa à revista “Diabetes Care”.

De maneira bem diversa, nas portadoras de Diabetes tipo 2, as causas mais frequentes de perda da gravidez foram bebés nascidos mortos e uma infecção bacteriana das membranas que circundam o feto e o líquido amniótico, "gritantemente mais prevalentes" do que em mulheres com Diabetes tipo 1, constataram os cientistas.

Também foi observado que as portadoras de Diabetes tipo 2 tinham mais peso. A equipa conclui que, além do controlo do açúcar no sangue, outros factores têm "impacto substancial" sobre as causas e a frequência da perda da gravidez entre as mulheres diabéticas.»

Fonte: Saude na Internet
Link:http://www.mni.pt/destaques/?cod=10108&cor=azul&MNI=b405749b142e964820ba4c885e44b287