terça-feira, 20 de maio de 2008

Semana Mundial pelo Parto Respeitado


«A Semana Mundial pelo Parto Respeitado é uma iniciativa da Alliance Francophone pour l'Accouchement Respecté (Aliança Francófona pelo Parto Respeitado), uma associação não governamental, criada em 2003.

Celebra-se desde 2004, sempre no mês de Maio, havendo iniciativas em inúmeros países no sentido de divulgar a importância de um nascimento humanizado e respeitado.

Todos os anos é proposto um tema que é depois trabalhado em cada país, pelas organizações que tomam iniciativas neste âmbito. Este ano o tema é a separação desnecessária e prejudicial da mãe e do bebé após o nascimento. Foram propostos slogans como «Não os separem» ou «É o NOSSO bebé!»

Que no os separen!
Em Espanha a associação «El Parto es Nuestro» criou um site
onde é possível descobrir e aprofundar as razões pelas quais é tão importante manter o bebé junto da mãe após o nascimento.

Temos Direito!
A HumPar (Associação Portuguesa pela Humanização do Parto) traduziu e pôs em destaque na homepage do seu site quatro filmes promocionais de uma campanha em defesa do parto respeitado, produzida pela organização não governamental argentina «Dando a Luz».

Os vídeos foram protagonizados por figuras públicas daquele país que quiseram, de forma voluntária, associar-se a esta causa. Na Argentina existe uma lei, aprovada em Novembro de 2004, que diz: «Toda a mulher tem o direito ao parto natural, com respeito pelos tempos biológicos e psicológicos e evitando práticas invasivas e a administração de medicação que não sejam justificadas pelo estado de saúde da parturiente ou da pessoa por nascer.» Porque a lei nem sempre é respeitada, foi produzida esta campanha com o slogan «Temos direito!» »

Fonte:IOL
Link:http://www.mae.iol.pt/artigo.php?id=952373&div_id=3722

1 comentário:

C.C. disse...

Olá Paulo! Venho desta forma prestar o meu apoio ao parto humanizado! As mulheres têm um estigma com o parto e a dor do parto, que minha opinião é exagerado. Já passei por um parto, muito pouco humano (não deixaram o pai assistir e não tive qualquer companhia durante as 5 horas de parto) e posso dizer que, apesar das contrariedades, foi um momento espantoso da minha vida. Mesmo no meio do hospital, consegui conectar-me com a energia maternal de todas as mães do nosso planeta, que durante milénios pariram naturalmente. O nosso corpo trata de tudo, o cérebro liberta hormonas que nos dão uma energia e um poder inacreditáveis e sinceramente o que menos me lembro é de dor. As parturientes com epidural, desculpem-me senhoras, mas pareciam umas amorfas, ali com cara de enjoadas, durante horas, sem saberem bem como fazer força nos músculos anestesiados do corpo. Aprendam a respirar, tenham calma, e lembrem-se que a mulher, toda a fêmea, está preparada para isso. Disfrutem de um dos momentos mais especiais da vida, o nascimento de nova vida!Boa sorte e uma hora pequenina! :D